Adaptação escolar, nosso diário

Adaptação escolar, nosso diário

 

 
A adaptação escolar é muito diferente para cada família e criança, estou compartilhando como tem sido a nossa
MAmae Arquiteta
Para mim não foi e nem tem sido fácil, me acostumei a tê la em casa, me acompanhando para cima e para baixo, sinto falta dela. Às vezes estou no computador trabalhando concentrada, ouço e barulho e levanto correndo achando que ela fez alguma arte e lembro que está na escola. Ela está arredia, não brinca tanto como antes, chega cansada, está comendo mais, muito mais, está muito mais falante e melhorando a pronúncia de muitas palavras. Vire e mexe a pego cantando. Ela está feliz, se adaptando. Eu precisava desabafar e como tenho o blog, decidi usar este espaço para compartilhar o que tenho passado e quem sabe assim receber o apoio de outras mamães e ajudar tantas outras passando pela mesma fase a Adaptação escolar.

Por opção nossa, eu e meu marido decidimos que esperaríamos a Alice beirar os quatro anos para entrar na escola, por diversos motivos, e assim o fizemos. Durante três anos e meio, fomos eu e a Alice. Durante a gestação e os primeiros meses de vida, eu li bastante sobre educação e formação de crianças, como estimular o desenvolvimento, a fala, a escrita e coordenação motora.
Procurei dar o meu melhor e estimular a Alice durante este período, mas chegou muito rápido o momento em que precisei deixa la voar.
1º dia – Ela foi! Nem olhou para trás. Deu oi para as tias, oi para a amiguinha (vizinha que está na mesma sala) e depois de um grito de : -tchau filha! -tchau mãe. Chegou muito feliz e falante.
2º dia – Estranhou ter que sair de novo, ainda não entendeu, claro, que será assim durante a semana. Foi bem, mas chegou na escola e não quis se enturmar, chorou para vir embora.
3º dia – Chorou dizendo que queria ficar em casa, entrou na perua chorando, mas estava bem quando chegou na escola, cerca de 5 minutos, e ficou bem. A professora  escreveu na agenda dizendo que ela choramingou um pouco, mas depois começou a brincar. Ela chegou em casa estranha, não quer contar o que fez ou como foi o dia,
4º dia – Foi um Deus nos acuda, nunca imaginei que seria tão difícil, ela lutou muito e não queria colocar o uniforme, foi um parto para entrar na perua e eu fiquei de coração partido e muito nervosa com a situação. Chegou e não quis falar nada de como foi, as vezes a pego cantando musiquinhas que não conheço, acho que tem aprendido lá.
* Fomos ao shopping, estranhei seu comportamento, não largava nossa mão, e por diversas vezes disse estar com medo.
Durante o final de semana, conversei com uma amiga psicologa e mãe de duas meninas, me explicou que devo ficar tranquila e ser firme. Ela me explicou com muito amor, que durante um tempão a Alice ficou comigo, mesmo com “regras” em casa, ela brincava quando bem entendia, não precisava dividir seus brinquedos e atenção, Na escola é tudo novo, há horário para brincar, ela precisa dividir e tem responsabilidades como as atividades. Me orientou ainda a conversar com a Alice e explicar que ela cresceu, é uma mocinha e agora deve ir para a escola.
5º dia – fiz conforme minha amiga me orientou, conversei e expliquei, ela resmungou um pouco e disse que queria ir na vovó, expliquei que iremos no final de semana e que hoje é dia de aula, ela reclamou para entrar na perua, mas foi tranquilamente. Eu ainda estou me habituando, novos horários e nova rotina, estou cheia de trabalhos e muita coisa para fazer que posterguei durante quase 4 anos. Ainda me organizando e organizando as ideias.
6º dia –  hoje completamos uma semana,  é dia de ballet, já estava sofrendo pensando se ela iria deixar eu arrumá-la. Precisava de uma estratégia, não pensei em nada. Ela acordou e depois de tomar o café, disse que queria tirar o pijama e ir ao mercado, fiz um combinado, disse que a levaria ao mercado, mas ela já iria vestida com a roupa de ballet, ela concordou. Assim com muito amor e paciência, eu a arrumei, a vesti de bailarina, nunca a vi tão linda e fiquei muito emocionada. Vesti a meia, o collant e arrumei o cabelo, agasalhei, coloquei um tênis e levei ao mercado. Foi o tempo de almoçar e a perua chegou, ela estava radiante  girava mostrando a roupa. Que amor! Mas na hora que viu a perua chorou, um pouco mais chorou, entrou e foi. Chegou mais falante.
alice bailarina
7º  dia –  Gostei de como foi hoje, ela foi bem, e chegou contato que brincou de bambolê, jogou futebol e comeu bolo de chocolate. Fiquei feliz, ela esperou o papai chegar para entregar um desenho e também quis mostrar a agenda pra ele.
8º dia – Hoje está muito frio, e até eu gostaria de ficar no sofá a tarde toda assistindo TV, mas não posso e foi isso que expliquei quando ela começou a chorar para não se arrumar, A perua chegou e ela foi sem chorar. Ufa!
Atualizado 12/08/2016
Ela chegou feliz, foi aniversário de um amiguinho, sim ela disse que tem amiguinhos e falou o nome de pelo menos 4, começou a se socializar. Disse que cantou parabéns e comeu bolo. Trouxe mais uma arte para o papai e ficou toda contente quando ele chegou e fez questão de repetir como tinha sido o dia. Estou muito feliz, parece que a fase mais complicada está passando.
9º dia – Chegou a sexta feira, o dia do brinquedo!!!! Ela não queria levar nada e também não queria ir, mas foi, foi feliz e chegou contente contando sobre o dia, que desenhou círculos e outros objetos.
10º dia – Hoje é segunda feira dia 15 de Agosto, depois de um final de semana de eventos e coisas muito gostosas, voltar a rotina não é fácil, nem pra mim, muito menos para a Alice, ela chorou um pouco dizendo que queria ficar em casa e dormir no sofá com a mamãe. Quem dera! Chorou um pouco, mas parou assim que entrou na van. Chegou toda faladeira dizendo que comeu banana e uma lanche delícia.
11º dia – Terceira semana, dia de ballet, foi tudo muito tranquilo, graças à Deus. Não deu trabalho para se arrumar. Já no elevador disse que estava indo encontrar a tia do ônibus (como se refere a van escolar) e que iria para a escola. Quando viu a van chegando, não chorou, apenas entrou, hoje ganhei beijinho de tchau. Estou me sentindo muito feliz, como minha menininha cresceu.
12º dia – Quarta feira, ela amanheceu um pouco indisposta, mas almoçou super bem, tomou o banho cantando e não deu o menor trabalho para se arrumar. Ela me disse que é uma mocinha e que queria se arrumar para ir para a escola, sim pela primeira vez ela pediu para ir. E foi tranquilamente. Ao chegar a agenda apontou que comeu melhor que nos outros dias. Fiquei muito feliz. Ela chegou contando tudo.
13º dia – estamos vivendo dias melhores (risos), ela não chora mais para se arrumar e quando termino de arrumar o cabelo ela corre para se olhar no espelho e enche a boca para dizer que vai para a escola.
14º dia – sexta feira dia do brinquedo, hoje ela quis escolher o que levar, se arrumou toda feliz. Chegou super contente contando a história da Bela Adormecida (trouxe o livro para fazer a lição de casa) e com uma medalha no peito, em comemoração ao encerramento dos Jogos Olimpicos, hoje eles desenvolveram mais algumas atividades especiais. Muito feliz, ela está pronunciando melhor muitas palavras e formando frases ainda mais elaboradas.
dia 22/08/2016
15º dia –  Depois de um final de semana frio e de muita gripe, acordamos melhor, graças à Deus. Alice acordou já falando da escola, e não deu um pingo de trabalho. Cada dia melhor. Espero que continue assim.

Até mais,

Anna

 

Posts relacionados

Nenhum comentário


  1. Lendo tudo isto me passou um filme …
    Tenho 2 filhos ,Daniel 13 anos e Victor 8 anos
    Quando o Daniel foi para escola o primeiro dia foi um sonho para ele e um pesadelo para mamãe aqui,para ele foi super tranquilo mas para mim foi o dia de muito choro kkkk
    E com o tempo me acostumei com a nova rotina,já com o Victor quando chegou a hora de ir para escola chorou muito no 1 dia e eu vi tudo kkk pois fiquei do lado de fora chorando também ,mas acostumou rápido,nesta nova fase quem mais sofre somos nós

    Responder

  2. Que mocinha linda que ela está Anna. Já está indo p a escola! que DELÍCIA. O Pedro me deu muito trabalho por um bom tempo, quase rasgava minha roupa p não entrar na escola e eu ficava do lado de fora chorando me achando a pior mãe do mundo. Mas, depois de muito tempo kkkkkk ele se acostumou e vi q foi a melhor decisão q eu havia tomado. Bjs

    Responder

Deixe uma resposta